post lifetransitions planejamento estratégico
post lifetransitions planejamento estratégico

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: ISSO É COISA PARA FIRMA GRANDE?

Em realidade, o conceito de planejamento estratégico refere-se a avaliar de que forma as práticas de negócios atuais afetarão a companhia a longo prazo.

É uma maneira de se antecipar às alterações que ocorrerão no ambiente (mercados, competição e economia) e de agilizar o tempo de reação da empresa a essas mesmas mudanças.

Ao efetuar periodicamente um exercício de planejamento estratégico para a empresa (uma vez ao ano, por exemplo), o dirigente estará obrigando-se a avaliar os pontos fortes e as deficiências de sua empresa (no que somos muito bons?; quais nossas maiores falhas?), bem como a avaliar as oportunidades e ameaças que o mercado e a competição apresentam (surgiu algum novo produto em substituição ao nosso? os custos de nossos insumos estão abrindo oportunidades para produtos substitutivos? algum competidor lançou algo novo? o mercado está crescendo? estamos crescendo tanto quanto o mercado, mais ou menos do que ele? alguém está expandindo a capacidade? há empresas com qualidade melhor do que a nossa? e, quanto à pontualidade?).

Ademais, o dirigente irá descobrir que os empregados tornam-se mais produtivos e dedicados quando conhecem os objetivos da companhia.

O planejamento estratégico segue por três fases:

1 Premissas

O proprietário, ou primeiro executivo, define a visão e a missão da companhia.

2 Análise

Esta fase inclui a análise do ambiente externo e interno da empresa.

No ambiente externo, avaliam-se os pontos fortes e as deficiências da concorrência.

Por exemplo, será que a concorrência oferece um melhor pacote de serviços do que sua companhia? Tem ela um produto ou serviço de melhor qualidade? A análise estende-se também para o mercado: há nichos de preços melhores ou de concorrência menos intensa?

Internamente, a preocupação é identificar as deficiências e os pontos fortes face à concorrência.

Avalia-se a capacidade financeira da empresa, a qualidade de seus recursos humanos e suas necessidades de aumentar o capital intelectual, a cobertura de mercado, as margens obtidas em cada região ou nicho, a qualidade dos produtos e serviços, as reclamações ocorridas durante o ano, os retrabalhos, as rejeições de entregas etc.

3 Desenvolvimento do plano

A análise vai compor, juntamente com as premissas, a base para decisões importantes tais como:   

  • crescer? quanto e como? como financiar esse crescimento?   
  • quais os objetivos para cada produto ou negócio?   
  • quais as estratégias para atingir essas metas? estratégia de preços? aumentar a cobertura de mercados? concentrar em nichos de maior margem?   
  • comprar um concorrente? fundir-se com ele? buscar novos parceiros estratégicos?   
  • buscar novos mercados? diversificar produtos?   
  • como eliminar as deficiências? como ressaltar os pontos fortes?

Na verdade, exatamente por ser menor e por haver um maior envolvimento dos dirigentes com o dia-a-dia das operações, o planejamento estratégico é mais fácil de ser realizado na pequena e média empresa.

Não é, contudo, um exercício comum nelas pois todos acreditam que conhecem tão bem o seu negócio que podem dispensá-lo.

Os inúmeros fracassos de empresas que não conseguem atingir a segunda ou terceira geração após seus fundadores, demonstram a falácia desse conceito.

Lembre-se sempre disso.
Sucesso !

Quer ser um bom líder? Saiba um pouco mais sobre o Coaching Integrativo.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário