Post Life Transitions Liderança e Carisma
Post Life Transitions Liderança e Carisma

LIDERANÇA É CARISMA?

O QUE ELES TÊM DE COMUM?

Quando o assunto é liderança, a primeira imagem que vem à cabeça das pessoas é de que se trata de uma pessoa carismática, comunicativa, capaz de mobilizar e energizar as pessoas através de uma comunicação vibrante e inspiradora.

É uma pessoa especial que gera entusiasmo, fé e determinação nos seus liderados, os quais se mostram dispostos a superar o seu desempenho.

Lamento decepcionar tantas pessoas, mas devo dizer que o líder não é nada disso.

As palavras acima não descrevem um líder, mas um orador motivacional, que está tão em moda hoje em dia.

Empresas e entidades, nas suas convenções, contratam-nos para que se desenvolva um clima de risadas e descontração.

Espera-se, também, que suas palavras tenham o dom de fazer com que as pessoas se motivem para a ação e para a superação de seus limites, e que passem a apresentar desempenho excepcional.

A constatação da realidade-pós-oratória-motivacional demonstra que o resíduo prático dessas palestras é fornecer assunto para muitas risadas posteriores e conversas durante café-da-manhã. Mas, resultados zero.

David Keirsey no seu trabalho “Keirsey Temperament Sorter II” identifica os quatro tipos básicos de temperamento em que se classificam as pessoas:

  1. Guardiões
  2. Artesãos
  3. Idealistas
  4. Racionais

Em todos esses grupos, com características e motivações distintas e, em alguns casos, com diferenças pronunciadas, encontram-se pessoas particularmente dotadas para o exercício da liderança.

Ou seja, o líder pode ser uma pessoa em maior ou menor grau introvertida ou extrovertida; pode ser racional e cartesiano ou um artista que apresenta comportamento de pura emoção; pode ser agressivo e dominador ou convivial e cordato.

Por outro lado, todos os líderes apresentam algumas características comuns, como:

  • Inegociável comprometimento pessoal com um quadro de referência constituído por princípios que autenticamente acredita (não obrigatoriamente esses princípios são pautados pela ética);
  • A capacidade de formular uma visão inspiradora que estabelece o senso de missão para os liderados;
  • Coragem para defender e agir segundo os seus princípios, mesmo quando confrontado por oposição vigorosa;
  • Iniciativa, determinação e persistência;
  • Capacidade de resolução de conflitos e de desenvolver
    atitude colaboradora nas pessoas;
  • Inteligência acima da média (conheça mais sobre as qualidades da liderança)

Em função do seu temperamento, o líder pode externar sua ação com comportamentos variados, conforme discorrido a seguir

Guardiões

Guardiões são o pilar da sociedade, pois eles têm o temperamento de se doar ao servir e à preservação das mais importantes instituições sociais.

Possuem um talento natural para a gestão de bens e serviços e utilizam todos os seus talentos para manter o funcionamento suave e eficaz de suas famílias, comunidades, escolas, igrejas, hospitais e negócios em geral.

São exemplos de líderes guardiões: Madre Teresa de Calcutá, George H. W. Bush, Zilda Arns.

Artesãos

Têm o temperamento dotado de habilidade natural para destacar-se em qualquer tipo de arte, não somente as artes refinadas da pintura e da escultura, como também nas artes performáticas como música, teatro, dança; podem também sobressair-se nos esportes ou na arte de negociação.

São exemplos de líderes artesãos: Jacqueline Onassis, Magic Johnson, Madonna.

Idealistas

Como característica de temperamento, são pessoas apaixonadamente envolvidas com o crescimento e o desenvolvimento pessoal.

Os idealistas se esforçam em descobrir a sua própria natureza e como podem dar o melhor de si.

A busca insistente do autoconhecimento e do desenvolvimento pessoal excita sua imaginação.

São impulsionados pelo desejo de ajudar aos outros na sua jornada.

Sentem-se atraídos pelas pessoas e desejam atuar em educação ou aconselhamento e em serviços sociais.

São especialmente dotados da habilidade de ajudar as pessoas a encontrarem o rumo de suas vidas.

São exemplos de líderes idealistas: Mohandas Karamchand Gandhi, Nelson Mandela, Princesa Diana.

Racionais

Seu temperamento os qualifica como solucionadores de problemas, em particular quando o problema envolver vários sistemas complexos.

Podem dedicar-se a sistemas orgânicos, como plantas e animais, sistemas mecânicos como ferrovias e computadores, ou sistemas sociais, como famílias, empresas ou governo.

Apresentam grande capacidade de análise que os leva à compreensão do funcionamento dos mesmos e à formulação de ações para elevar a sua eficiência.

São exemplos de líderes racionais: Walt Disney, Napoleão Bonaparte, Margaret Thatcher.

Independentemente, contudo, do temperamento, todo líder apresenta uma característica marcante: a autenticidade.

Para ser líder, é necessário verdadeiramente crer naquilo que propugna.

Isso é verdade, mesmo quando o líder está defendendo uma causa errada, ou que seja considerada moralmente condenável, como foi o caso de Hitler, Mao Tse-tung e Stalin, os quais, através de expurgos e guerras, conseguiram eliminar um número de pessoas equivalente ao total da população do Brasil.

Cada uma dessas quatro categorias básicas de temperamento, por seu lado, divide-se em quatro subtipos, formando, no conjunto, os 16 temperamentos nos quais se classificam as pessoas.

Caso você queira melhor se conhecer, faça gratuitamente o teste Keirsey básico, que está disponível nos idiomas inglês, espanhol e francês, clicando aqui.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário