NÃO EXISTE PRECONCEITO CONTRA PROFISSIONAIS MAIS VELHOS! PARTE 2
Post Life Transitions - Preconceito contra profissionais mais velhos

NÃO EXISTE PRECONCEITO CONTRA PROFISSIONAIS MAIS VELHOS! PARTE 2

Introdução

Eu sei que estou tocando num assunto sensível, principalmente porque há muitas pessoas que hoje acreditam haver preconceito contra profissionais mais velhos no mercado de trabalho.

Não há! Não existe preconceito contra profissionais mais velhos.

As pessoas estão adotando a estratégia errada na busca da oportunidade profissional.

Este Artigo

Este artigo divide-se em três partes.

Nas duas primeira é conduzida a análise do mercado de trabalho e a explicação do porquê das dificuldades encontradas pelos 50+.

Na terceira parte é apresentada única estratégia vencedora possível para a conquista de trabalho e renda após os 50 anos de idade.

Leia todos até o final

CARGO X IDADE

Em tempos recentes, principalmente levado em conta o nível de desemprego existente, desenvolveu-se a noção de que há preconceito contra pessoas de terceira idade no mercado de trabalho. Isso é um mito e não corresponde à verdade. Reconheço, entretanto, que muitas pessoas com mais de 50 anos de idade têm encontrado dificuldades na conquista do emprego.

A idade não é um fator absoluto na avaliação de uma pessoa; ela é um fator relativo. O que existe, isso sim, é uma correlação entre a idade e o cargo que a pessoa ocupa.

Ou seja, ninguém é velho, ou jovem, para o mercado de trabalho. A pessoa é velha ou jovem para o cargo que ocupa.!

Veja o seguinte exemplo: lei do ano 2000 criou o programa Jovem Aprendiz para preparar a inserção dos jovens no mercado de trabalho. Para se incluir no programa o jovem tem que prosseguir com seus estudos. Destina-se a jovens com idade entre 14 e 24 anos. É intuitivo perceber que um jovem com 16 a 18 anos tem a idade adequada para ser um aprendiz. Um aprendiz, com 24 anos, ele já é velho para o programa. E ninguém é velho com 24 anos de idade.

  • Um Auxiliar de Departamento Pessoal com 32 anos de idade é velho para a função.
  • Um Gerente de Recursos Humanos com 45 anos tem a idade adequada para a função.
  • Um Diretor de Recursos Humanos com 56 anos de idade está adequado para a função.
  • Um Auxiliar Administrativo com 35 anos é velho para o cargo.
  • Um Presidente de empresa com 30 anos, independentemente de seu desempenho, é considerado jovem para o cargo.
  • Um operador de telemarketing com 55 anos de idade é muito velho para a função.

Como referência, para que cada um possa se posicionar em relação ao assunto, tome com base a idade que você possuía quando atingiu o cargo que agora ocupa. Esse é o primeiro indicativo que você tem para saber se sua idade é adequada ao cargo que ocupa.

Três a cinco anos após a sua última promoção, começa a ocorrer o envelhecimento para a função. Ele é tanto mais lento quanto mais alto o cargo ocupado na organização.

Recentemente, estive em contato com um profissional especializado em avaliação de crédito em empresa financeira, que tem hoje 52 anos de idade e que está encontrando dificuldades em se recolocar.

Uma análise do seu currículo mostrou que ele perdeu seu emprego aos 49 anos e está há três anos procurando uma vaga.

Há 16 anos, antes de ser demitido, ele atingiu o cargo de Chefe do Departamento de Crédito.

Ficou numa empresa por 5 anos nessa função e depois transferiu-se para outra, no mesmo cargo, na qual ficou por mais 11 anos.

Ou seja, ele atingiu o cargo quando tinha 33 anos de idade! E, se ele foi capaz e adequado para o cargo quando tinha 33 anos de idade, o fato é que existem hoje não um ou dois, mas provavelmente milhares de jovens tão capacitados quanto ele era naquela época, cheios de vigor, energia, ambiciosos e brilhantes, prontos para assumir a função.

Argumento

O argumento de que o profissional, após 16 anos na função, já vivenciou mais situações e mais problemas, tem mais segurança para conduzir o trabalho, é mais responsável e mais ponderado é falso, pois a história dele mostra que, como aconteceu com ele mesmo, alguém com 33 anos também pode ser bem sucedido e prosperar no cargo.


FAÇA A AVALIAÇÃO DE SEU CURRÍCULO GRATUITAMENTE


E se o empresário estiver diante de dois candidatos para o cargo, sendo que ele os considere igualmente qualificados, qual será a opção dele, independentemente de questões de diferenças salariais?

De um lado, tenho uma pessoa com 52 anos de idade e eu já sei o que se pode esperar dela: NADA! A própria história de sua carreira me diz. Será alguém que irá ficar no mesmo cargo, numa fase final de carreira, caminhando para a aposentadoria, sem que nada mude.

Do outro lado, tenho uma pessoa com 33 anos de idade, ambicioso, cheio de energia e novas ideias, querendo fazer carreira. Alguém que poderá se revelar como um raro talento, que poderá progredir na empresa para cargos mais altos e, até mesmo, chegar um dia a Diretoria.

Portanto, a opção desse empresário será óbvia.

Analise, agora, sua carreira, à luz desse conceito: ninguém é jovem nem velho para o mercado de trabalho; tudo depende do cargo que venha a ocupar. Como você se posiciona em relação a esse critério? Qual era a sua idade quando conquistou seu último cargo?

Recomendação Final

Assista ao vídeo ou clique aqui.

E se quiser, clique aqui e faça uma avaliação gratuita de seu currículo.


Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe uma resposta