Post Life Transitions O corpo fala
Post Life Transitions O corpo fala

O CORPO FALA: COMO CRIAR UMA IMPRESSÃO POSITIVA DURADOURA

Pessoas tendem a acreditar que aquilo que falam é a parte mais importante da comunicação. Contudo, essa é uma impressão errada da realidade.

Na comunicação humana, 7% dela é constituído por aquilo que a pessoa fala; 38% é composta pelas expressões verbais, como por exemplo, a entonação da voz e a assertividade das afirmativas e 55% é constituída pela comunicação não verbal, que é manifestada pela postura corporal, expressão facial, direção do olhar, gesticulações etc.

Seguem recomendações a respeito de como causar uma impressão positiva, marcante e duradoura numa entrevista de emprego.

O primeiro ponto é compreender que as pessoas notam e observam tudo a seu respeito, a forma de se vestir, as cores usadas, o corte do cabelo e o penteado, o comprimento das unhas e o cuidado com as mesmas. Seu objetivo é não tirar a atenção do interlocutor daquilo que você quer comunicar.

Portanto, não desvie a atenção dele para detalhes descuidados de sua aparência.

Observe-se: você está querendo apequenar-se ou avolumar-se?

A pessoa que procura apequenar-se reclina-se para trás, descontraidamente, ou tende a se reclinar para o lado, apoiando-se num dos braços da cadeira. Cruza os braços e encurva as cosas. Cruza das pernas.

Pessoa que procura avolumar-se apresenta-se aberta ao interlocutor, com o peito projetado para frente, ombros retos, corpo ereto um pouco afastado do encosto da cadeira, pernas ligeiramente afastadas com os dois pés firmes no chão, mãos afastadas entre si e apoiadas sobre as coxas ou sobre a mesa. Em resumo, postura com características desafiadoras.

A psicóloga social Amy Cuddy revelou que alterando nossa postura podemos mudar a percepção das pessoas a nosso respeito e até mesmo a nossa química corporal.

Em experimento controlado Amy mediu as variações do hormônio da dominância, a testosterona, e do hormônio do estresse e da insegurança, o cortisol, após dois minutos de permanência do homem na posição de apequenar-se e de avolumar-se.

Surpreendentemente, nesse curto período foram constatados 20% de aumento na testosterona de pessoas na posição “avolumar-se” e 10% de diminuição na posição “apequenar-se”. No que se refere ao cortisol, “avolumar-se” provocou 25% de redução e “apequenar-se” 15% de elevação.

Ou seja, em dois minutos a postura “avolumar-se” provoca mais dominância e menos insegurança, com reações opostas do “apequenar-se”.

O primeiro cumprimento com um aperto de mãos

Muitos encontros e reuniões começam com um aperto de mãos. Para isso:

  • Adote a postura de avolumar-se;
  • Estampe um sorriso em sua face;
  • Estenda a mão com a palma para cima;
  • Olhe nos olhos do interlocutor;
  • Diga o nome da pessoa;

Segure a mão do interlocutor, envolvendo com seus dedos com firmeza, sem apertar (três coisas causam impressão desagradável: 1. A mão
flácida, sem energia, parecendo um peixe morto, 2. O aperto forte a ponto de causar desconforto na pessoa e 3. Muito comum entre as mulheres, tocar somente as pontas dos dedos da pessoa com os seus).

Somente políticos e autoridades ficam por muito tempo chacoalhando a mão um do outro, enquanto aguardam que os fotógrafos registrem a cena. O aperto de mão não requer balançar nada e deve durar 2 segundos.

 

Adote uma postura de participação interessada.

Mantenha o corpo aberto, não cruzando os braços ou as pernas. Não se recline para trás ou para o lado sobre o braço da cadeira.

Sente-se com o corpo ereto e levemente inclinado para a frente, desencostando-se da cadeira. Deixe suas mãos apoiadas sobre as coxas ou
colocadas afastadas sobre a mesa. Ter nas mãos um bloco para anotações e uma caneta vai obriga-lo a uma postura mais natural, além de ser indicativo de que valoriza as opiniões do interlocutor e que pretende registrá-las.

Caso a entrevista seja mantida numa sala ou saleta de reunião, é válido apoiar o bloco de anotações na mesa e permanecer com os braços apoiados, pronto para escrever suas anotações.

Caso a entrevista seja mantida na sala do entrevistador, nunca apoie o bloco de anotações na mesa dele. Faça as anotações apoiando o bloco na sua perna ou mantendo-o junto ao seu corpo. Principalmente, nunca toque ou movimente objetos ou papeis que estão sobre a mesa do entrevistador para criar espaço para o seu bloco de anotações!

Não brinque com a aliança ou com os botões da sua camisa, que são indicativos de ansiedade.

Evite mudar constantemente de posição na cadeira, como se estivesse com um furúnculo nos fundilhos, o que é também sinal de ansiedade.

Procure aparentar calma e autoconfiança. Para isso, respire profundamente e retenha o ar por alguns segundos antes de soltá-lo.

Posturas Corretas
Postura Incorreta

 

Mantenha o contato visual

Olhe nos olhos do interlocutor a maior parte do tempo.

Claro que é impossível fitar a pessoa nos olhos o tempo todo pois isso dará a impressão de estar mesmerizado ou hipnotizado. Entretanto, todas as frases importantes devem ser ditas olhando a pessoa diretamente nos olhos.

Ao longo da entrevista, seu olhar pode percorrer a face do interlocutor. Olhe no seu olho direito, no olho esquerdo na sua boca, queixo, cabelo etc. Mas, não se desvie.

Evite olhar para o teto, pois isso é demonstra enfado ou estar buscando uma ideia que não lhe ocorre. Igualmente, não deixe seus olhos pulando da direita para a esquerda, como se estivesse pesquisando o ambiente, pois é indicativo de ansiedade. É preferível olhar para as mãos, voltando em seguida para fitar o interlocutor.

Module a sua voz

A voz deve transmitir confiança e calor humano.

A ansiedade faz com que a pessoa passe a falar mais rapidamente e num tom mais agudo ou estridente. Por outro lado, falar num tom de voz mais baixo eleva a solenidade do momento e confere maior credibilidade e segurança à pessoa. No caso, não se trata de falar mais baixo, diminuindo o volume, mas de falar num tom mais baixo, engrossando a voz.

Conforme já mencionado, faça exercícios discretos de relaxamento, aspirando o ar, retendo-o alguns segundos e soltando devagar.

Utilize pausas para enfatizar conceitos importantes

A ansiedade leva a pessoa a falar mais rapidamente e a se precipitar na conclusão das suas ideias, como se pretendesse livrar-se do assunto.

Entretanto, o uso adequado de pequenas pausas dá ao interlocutor a oportunidade de absorver o conceito emitido e ressalta a importância do tema exposto.

Por exemplo: “Eu tenho uma experiência muito importante para comentar sobre esse assunto (pausa). Certa ocasião, eu estava ….”. Neste exemplo, a pausa é usada para ressaltar e enfatizar que a seguir será falado algo importante.

Ou, noutro exemplo: “Não há dúvida que eu concordo com isso (pausa). Concordo porque …”.

Como e quando gesticular

Os gestos podem ser utilizados para dar força às suas afirmativas. São gestos preferíveis:

  • Apresentar uma de suas mãos espalmada para cima, mais comumente a direita, balançando levemente;
  • Tocar o seu coração com a mão direita, enfatizando algo emocional;
  • Juntar as pontas dos dedos e estender ligeiramente os braços para frente;
  • Agarrar as duas mãos, entrelaçando os dedos, para demonstrar força e confiança.

Evitar gestos largos estendendo os braços como um nadador.

Policie a sua linguagem

Por mais tentador que seja utilizar uma gíria ou uma expressão coloquial de lugar comum, não o faça!

Pronuncie as palavras corretamente, com especial cuidado para os “s” e “r” finais, que se constituem nos mais comuns vícios de linguagem, do tipo: “vamo” ao invés de “vamos“, eu nem gosto de “fala” disso, ou invés de “falar” disso etc.

Não cometa as barbaridades de usar indevidamente o pronome oblíquo em lugar do direto. Para isso, recorde-se de Jota Quest na música Fácil, quando ele diz “Fácil, extremamente fácil, para você e eu (nunca mim) e
todo o mundo cantar junto”

Evite os sinais de mentira

São considerados sinais de mentira todos os gestos de tocar partes do seu rosto ou sua cabeça, como mexer na orelha, coçar os olhos, passar a mão pela linha do cabelo na testa, tocar o nariz e, principalmente, tocar a sua boca.

Veja mais ilustrações desses conceitos em
http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/album/2012/08/07/veja-como-se-comportar-em-entrevistas-de-emprego.htm#fotoNav=2

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário