Post Life Transitions Emprego mais de 50 anos - aposentado
Post Life Transitions Emprego mais de 50 anos - aposentado

PERDI O EMPREGO PRESTES A ME APOSENTAR!

Há dias, assistindo noticiário na televisão em torno do tema do desemprego, o repórter entrevistou uma pessoa, visivelmente não tão jovem que, no seu depoimento, disse coisas como:

Faltam dois anos para me aposentar;

Acabo de ser dispensado;

As empresas hoje estão dispostas a contratar pessoas mais jovens, que exigem salários menores;

Prevejo que terei dificuldades em me reempregar.

As circunstâncias da entrevista, a atitude do entrevistado e a maneira de se comportar, claramente indicavam que ele via na aposentadoria um ato de libertação.

A grande questão que se impõe é: porque ele foi dispensado depois de tantos anos de trabalho e aparente tanta dedicação?

Para ser substituído por alguém 10 ou 20% mais barato?

Seguramente, a resposta é não!

Na nova realidade da competição global e da transparência dos conhecimentos, todo empregado do conhecimento deve justificar sua permanência no trabalho através da capacidade de contribuir para os resultados da empresa.

Não aposente antes do tempo

Ser aquilo que se convencionou de chamar um bom funcionário, assíduo, pontual e dedicado, capaz de conduzir uma equipe que faça um trabalho bem feito, com qualidade e sem atrasos, é uma condição importante para a permanência no cargo, mas somente isso não é suficiente.

A empresa necessita pessoas empenhadas na melhoria contínua, introduzindo novos métodos e procedimentos que garantam ganhos de produtividade, ou reduções de custo, ou o aproveitamento de oportunidades que representem novos negócios ou novos mercados.

Quem é tão somente um fator de custos para a organização está fadado a ser substituído por alguém mais barato.

Uma remuneração maior tem que ser justificada pelos ganhos originados.

Nesse sentido, a crise econômica é a desculpa plausível para a empresa livrar-se das pessoas que se tornaram monótonas, repetitivas, sem capacidade criativa ou inovadora, “donos da verdade”, aposentados mentais e profissionalmente obsoletos

Há uma diferença sensível entre 10 anos de experiência e 10 vezes a experiência do primeiro ano.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário