Post Life Transitions Reter Talentos
Post Life Transitions Reter Talentos

RETER QUEM CONTRIBUI PARA MANTER A EMPRESA VIVA.

O que se faz necessário para reter os funcionários que a empresa mais deseja conservar?

Quatro ações-chave, a serem implementadas na organização, destacam-se como os fatores mais importantes para impactar positivamente os mais brilhantes talentos da equipe, aumentando o desempenho, a motivação e a satisfação no trabalho:

Chave # 1 – Torne-se uma companhia desejada pelos profissionais

Para tanto, compete à liderança maior da empresa a missão de construir uma cultura que modele, incentive e recompense o comprometimento das equipes e atraia possíveis novos funcionários, através do prestígio de sua reputação.

As ações recomendadas são:

  • Contribuir para o adequado balanceamento da vida pessoal e profissional dos funcionários-chave, de forma a tornar suas vidas mais prazerosas.
    O tema gira em torno do conceito de flexibilidade por parte da organização, procurando acomodar as demandas pessoais e profissionais. Ao invés de conceder benefícios adicionais gerais, que nem sempre atendem aos desejos de todos, dar atenção às necessidades de cada funcionário, as quais podem ser atendidas por horários flexíveis, trabalho em home office, redução da jornada de trabalho em determinados períodos, depois compensada por horas adicionais noutras épocas etc.
  • Prover treinamento e oportunidades de desenvolvimento.
    Empresas que valorizam a retenção dos seus talentos provêm aos funcionários os conhecimentos e habilidades requeridos para que sejam atingidos os objetivos do negócio. Ao mesmo tempo, asseguram que a empresa e os funcionários mantenham-se atualizados com relação ao ritmo de mudança do negócio.

Chave #2 – Em primeiro lugar, selecione as pessoas adequadas

Na sua maioria, processos de seleção e de contratação de profissionais caracterizam-se pela análise aprofundada dos conhecimentos e habilidades dos candidatos, confrontados com os requisitos da função.

Entretanto, esses fatores são mais fáceis de serem ensinados.

Muito mais difíceis o são as atitudes e valores.

Dentre as atitudes e valores desejados, destaca-se a importância da Motivação pela Realização, que é a característica mais marcante dos High Achievers.

Dessa forma, todo processo de seleção deveria ser antecedido pela clara definição do talento requerido para ser bem-sucedido na função e quais as atitudes e comportamentos que serão facilitadores para a implementação das estratégias que levem ao sucesso do negócio.

E a regra deveria ser a de contratar quem atende a esses requisitos de atitudes e valores, mesmo que com insuficiência nos conhecimentos e habilidades, assumindo a empresa a função de desenvolver estes últimos.

 Chave #3 -Assegure uma iniciação fabulosa para os novos contratados

Para manter o moral elevado e não perder a motivação, o novo contratado deve, nos primeiros dias ou semanas, ter condições de satisfazer suas inquietações fundamentais, que se referem às seguintes questões:

  • Eu me sinto bem acolhido e valorizado aqui?
  • Eu compreendo a importância do meu trabalho para a organização?
  • Eu terei condições de aplicar meu julgamento e de exercer meu trabalho com independência e criatividade?
  • Eu terei a oportunidade de ampliar meus conhecimentos e de crescer profissionalmente?

O poder de expandir a capacidade de retenção de talentos está nas mãos dos gestores, que devem adotar práticas motivadoras, entre as quais destacam-se:

  • Comunicar ao funcionário a importância vital do seu trabalho para o sucesso da empresa;
  • Compactuar com o funcionário o comprometimento com o desempenho;
  • Delegar e recompensar, ou seja, conferir autonomia e reconhecer o trabalho bem feito. dando autonomia

Chave #4 – Manter o comprometimento através de acompanhamento e recompensas

Uma coisa é conquistar o comprometimento do profissional com uma empreitada ou projeto; outra, mais difícil, é conseguir manter o nível de comprometimento ao longo do tempo.

Assim, a boa performance é uma flor frágil que requer irrigação e cuidados constantes.

Para que isso ocorra, é necessária a compreensão de que o gerenciamento adequado é feito através da atenção constante a pequenos detalhes, como o acompanhamento do desempenho, a atenção para assegurar que se mantenha o progresso da carreira do profissional, através da agregação de conhecimentos e de experiências, o estímulo à moral individual e da equipe, o suporte em tarefas mais difíceis etc.

Tudo isso se traduz no relacionamento cotidiano.

A boa gestão não é fruto de reuniões solenes ou de profundas conversas pessoais; ela é construída na atenção aos detalhes do dia-a-dia.

E você, está sendo um bom gestor e líder? Nunca deixe de se trabalhar e se conhecer.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário