Post Life Transitions Você não está desempregado
Post Life Transitions Você não está desempregado

HÁ UM EQUÍVOCO: você não está desempregado(a)!

Você é proprietário do seu patrimônio profissional.

Esse patrimônio fez de você um prestador de serviços, que vendia qualificações para a empresa que o estava empregando.

Nela você prestava serviços dentro da área de sua especialidade, como finanças, contabilidade, recursos humanos, planejamento, produção, direção geral etc.

Em outras palavras, você é o feliz proprietário da VOCÊ SA, uma empresa prestadora de serviços, que se defronta com uma crise de marketing, ou porque não há ninguém comprando os seus serviços (desemprego) ou porque esses serviços estão sendo mal vendidos (subemprego).

Dessa forma, neste momento você não está desempregado, porque tem um trabalho pela frente, que é o de conseguir quem o contrate e passe a pagar pelos serviços da VOCÊ SA.

Como qualquer empregador, a VOCÊ SA exige sua dedicação de 8 a 10 horas por dia ao trabalho.

Por isso, pare de perder tempo!

Nada mais de fazer compras no supermercado ou de acompanhar a esposa(o) na ida ao médico! Nada mais de soneca ou televisão à tarde! Ou de levar a cachorrinha para tomar banho no Pet Shop.

Pare de assistir televisão até o horário final dos talk shows do Jô ou do Gentile. Esqueça o Netflix de madrugada.

Não venha com a ideia absurda de tomar um período sabático, ou, pior ainda, de achar que necessita umas férias para se recuperar de tantos anos de trabalho árduo!

Seus concorrentes adoram essas ideias pois estarão tomando eles as suas oportunidades profissionais enquanto você toma sol na beira da piscina.

Primeiro conquiste o novo emprego e, após conquista-lo, se possível, invente uma boa desculpa para iniciar no trabalho depois de uns 15 dias e vá usufruir as tais férias atrasadas.

Por motivos semelhantes, estar desempregado também não é o bom momento para fazer um curso. Isso é fuga!

O processo exige foco e disciplina. O mercado de trabalho está rico de oportunidades.

Tempo produtivo

Muitos profissionais sentem dúvidas nessa hora: “Como vou ocupar minhas 8 a 10 horas por dia, todo dia, de segunda a sexta-feira, procurando um emprego”? “Como ocupar o meu tempo”?

Outros apresentam objeções do tipo: “Não há atividades suficientes para ocupar 8 a 10 horas por dia”.

A solução é simples. O profissional necessita dois recursos:

  • Um método sistemático, lógico e planejado que o conduz no processo de busca do emprego dos seus sonhos, através de passos sucessivos, suportados pelos recursos da Internet, como o GRADUS, por exemplo.
  • Uma programação regular de atividades diárias, impondo-se disciplina, com horários rígidos de trabalho e uma hora de almoço, ou almoços de negócios.

O conjunto de atividades requeridas pelo GRADUS é mais do que suficiente para requerer 10 a 12 horas de trabalho por dia.

Contudo, não recomendamos essa dedicação, pois isso irá “queimar” excessivamente sua energia. 8 a 10 horas por dia estão de bom tamanho.

Disciplina

Outras recomendações:

  • Seja formal. Apronte-se diariamente para o trabalho (homens: façam a barba todos os dias!). Nada de trabalhar de bermuda e chinelo. Nada de pijama até o meio dia. Sua família deve compreender que, muito embora esteja em casa, você não está disponível para os problemas do cotidiano durante o seu expediente.
  • Comece a trabalhar muito cedo, idealmente, entre 7 e 8 horas da manhã. Esse é um bom horário para fazer telefonemas para pessoas importantes nas empresas que você tenha eleito como alvos de busca de oportunidades. Muitos Dirigentes e Gerentes já estão no trabalho nesse horário, no aquecimento para o dia, enquanto que suas assistentes e secretárias (aquelas que filtram seus telefonemas, perguntando qual é o assunto, e o impedem de falar com o chefe, direcionando você para o setor de RH) somente iniciarão o expediente às 9 horas. Além disso, nesses horários os dirigentes estão de bom humor pois ninguém ainda estragou o dia deles.

Com isso, o seu dia de trabalho vai terminar entre 15 e 16 horas (que bom! O sol ainda brilha lá fora!)

Estabeleça uma rotina de atividades, com horários definidos, pois isso irá facilitar o seu trabalho e criará método para a execução das tarefas importantes como telefonar para possíveis empregadores, agendar entrevistas, fazer o networking, enviar e-mails, pesquisar oportunidades nas redes sociais, relacionar-se com grupos de discussão, conversar com seus amigos solicitando informações sobre empresas, mercados etc.

Head hunters costumam dedicar o horário das 8 às 10 horas para as suas atividades de marketing e de busca de negócios.

Estes também devem ser contatados antes que suas secretárias ou assistentes comecem o expediente, ou após as 17 horas, quando o staff vai embora.

Principalmente, não interrompa a busca de oportunidades porque você foi chamado para entrevistas, está participando de um (ou vários) processos de seleção e tem a impressão de que tudo está caminhando favoravelmente.

O jogo só termina com o aperto de mãos final no fechamento do acordo de contratação.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário