Post Life Transitions vantagem competitiva 50 mais
Post Life Transitions vantagem competitiva 50 mais

QUAL SUA VANTAGEM COMPETITIVA APÓS OS 50 ANOS DE IDADE?

Você enviou seu currículo para dezenas de oportunidades de emprego que identificou, seja naquelas divulgadas no Linkedin, em inúmeros sites de agências de emprego, recrutadores e head hunters, vagas anunciadas, ou em indicações de amigos, conhecidos etc, além de registrar seu currículo em vários sites especializados na divulgação de profissionais em busca de oportunidade.

Em quase todos os casos, não obteve nem mesmo a confirmação de que receberam seu currículo. Conseguiu até participar de algumas entrevistas, mas, igualmente, não lhe deram nenhuma resposta (e, não adianta telefonar, enviar mensagem etc, pois ninguém te atende ou responde!)

Suas contas estão se acumulando; a cada mês você e a família são obrigados a cortar mais alguns gastos e as coisas já estão chegando a um ponto insuportável.

Você já acumulou dívidas com parentes e amigos, bancos e cartões de crédito.

Você está cansado e frustrado porque sua busca de emprego não está levando a lugar algum e tem vontade de sumir ou bater a cabeça na parede.

Afinal, qual o problema?

Bem, aqui vão algumas possibilidades:

  1. Seu currículo parece com o currículo de todos os demais candidatos para o cargo. Ou seja, ele não cumpre o papel de demonstrar que você é especial. Isso ocorre porque alguém, que não tinha nada de útil a fazer na vida, criou o conceito de que existe um “padrão” de currículo e que, portanto, todos devem ter diagramação semelhante e devem apresentar as mesmas informações na mesma sequência (até hoje eu ainda não sei de que parte da anatomia da pessoa saiu essa ideia; da cabeça é que não foi). É como se alguém dissesse que todos os folhetos de promoção e venda de apartamentos devessem ser iguais, com as mesmas informações, a mesma diagramação, fotos tomadas de ângulos semelhantes e as mesmas cores!!!
    Evidentemente, esse conceito é muito conveniente para o trabalho do recrutador, pois ele sabe onde procurar as informações que lhe interessam.
  2. Você não sabe como se promover e se sente constrangido escrevendo e falando sobre suas realizações. Isso também decorre do conceito de que o currículo deve apresentar objetividade despida de emoção, além do fato de que muitos consideram errado, ou falta de modéstia, vangloriar-se de seus feitos.
  3. Você não tem ideia de quais são suas áreas de excelência profissional, nem tem muito claro qual é o trabalho que pretende conquistar.
  4. Você é muito chato naquilo que escreve, com perda de objetividade e verborragia não pertinente.
  5. Você não sabe como identificar e como comunicar a sua vantagem competitiva no mercado de trabalho, ou seja, aquilo que faz de você uma pessoa especial.

De um a cinco estão as possibilidades, mas, a de número cinco acertou na cabeça!

Quem é você?

Não saber quem você é, o que você tem para oferecer e como você supera outros candidatos é a receita para o fracasso em sua campanha de procura de emprego.

Exatamente por ser mais experiente, a pessoa com idade superior a 50 anos, teve mais oportunidades de dar contribuições significativas para o desempenho da(s) empresa(s) em que trabalhou.

Então, como evitar o fracasso?

Pesquise, contemple, identifique e promova sua vantagem competitiva e o que faz você brilhar acima de milhares de outros candidatos!

Tenha a percepção de que a finalidade do seu currículo não é a de resolver o seu problema, por estar desempregado; a finalidade dele é demonstrar como você pode resolver o problema de quem irá contratá-lo!

Não perca tempo descrevendo o que você sabe fazer; fale a respeito dos resultados do seu trabalho.

O seu futuro chefe, o “dono da vaga”, está procurando grandes realizadores que apresentem um histórico de agregar valor ao negócio.

Caso esteja em dúvida sobre como fazê-lo, procure uma consultoria especializada na elaboração de currículos, a qual irá descrever não apenas suas responsabilidades, mas concentrar-se nas suas conquistas quantificáveis em termos de crescimento de receita, redução de custos, eficiência operacional, satisfação do cliente e outras contribuições de valor agregado.

Leia mais sobre o assunto em COMO IDENTIFICAR SUA VANTAGEM COMPETITIVA?

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Este post tem um comentário

  1. Geraldo Melo

    Eu paguei uma pessoa especializada uma vez que criou um curriculum que não gerou resultados. Estou voltando a sair do País, uma vez que voltei em um momento delicado.

Deixe um comentário