Post Life Transitions Linkedin
Post Life Transitions Linkedin

VALE REFORÇAR O ASSUNTO: 8 DICAS SOBRE COMO USAR O LINKEDIN A SEU FAVOR

O Linkedin é uma rede social voltada para relacionamentos de negócios com mais de 423 milhões de usuários. É atualmente o mais eficaz meio de se manter atualizado a respeito das últimas novidades do segmento de negócios do qual você participa, bem como para identificar oportunidades de emprego.

O maior erro que as pessoas podem cometer é o de considerar que o Linkedin vai fazer todo o trabalho. Ou seja, basta preencher os espaços em branco no roteiro de inscrição e pronto: ofertas de emprego passarão a chegar às dúzias!

Nada mais falso. O Linkedin é uma ferramenta à sua disposição e, para que seja efetiva, depende da sua utilização programada e constante para chamar a atenção e ser vista pelos recrutadores.

Por seu lado, os recrutadores dedicam horas e horas por dia à pesquisa de candidatos através do Linkedin. Seguem-se algumas dicas para assegurar que seu registro Linkedin salte à vista e se destaque perante o recrutador.

 1. Preencha todos os dados do seu perfil

É surpreendente constatar a incrível quantidade de profissionais que preenchem as informações a seu respeito com displicência, registrando informações superficiais e incompletas. Alguns, por exemplo, simplesmente registram o nome das empresas para as quais trabalharam e o título dos cargos ocupados, sem qualquer detalhe adicional. Pressupõem, erroneamente, que o simples título do cargo já é suficiente para qualifica-los.

É necessária uma dose mínima de empatia, enxergando o mundo sob a ótica do recrutador. Com informações insuficientes ele não se dará ao trabalho de contatar o profissional para obter maiores detalhes, pois tem à sua disposição dezenas de registros mais completos e elucidativos.

A riqueza de informações destaca o profissional sob a ótica da credibilidade.

Ter um registro completo significa listar todos os empregos anteriores que sejam relevantes para a compreensão do estágio atual de sua carreira ou do segmento de negócios para o qual pretenda migrar, incluir links ou arquivos multimídia que demonstrem as habilidades e talentos especiais que você possui e que sejam cruciais para o sucesso no cargo que ocupa ou que pretenda ocupar (o Linkedin apresenta as alternativas para isso em cada registro de empresa para a qual trabalhou) e detalhar sua formação educacional.

Adicione também as informações adicionais a seu respeito nos aspectos listados no próprio Linkedin tais como: idiomas, trabalho voluntário, organizações às quais pertence, causas que lhe tocam e sobre os quais tem especial apelo, honrarias, certificados, publicações etc.

Sobre a foto, tenha cuidado em não incluir algo chapado, sem movimento, com o aspecto de foto de documento de identidade ou de cartaz de “PROCURA-SE VIVO OU MORTO”. Procure dar movimento à foto, colocando-se em meio perfil, sorrindo e com impressão profissional.

2. Defina seu cargo ou objetivo profissional no subtítulo sob seu nome

O título do seu cargo é praticamente a primeira informação que aparece no seu perfil. Nunca a deixe em branco, mesmo que você esteja numa fase de transição de carreira. Nesse caso, coloque o último cargo ocupado ou o cargo para o qual deseja candidatar-se, indicando, a seguir, “Em transição de carreira”.

O algoritmo do Linkedin usa as palavras do título do seu cargo para buscar registros que se enquadrem no objetivo de busca fixado pelo recrutador. Isso significa que esse título não necessariamente deve ser aquele oficialmente utilizado na sua empresa, mas deve ser aquele que mais usualmente é adotado no mercado de trabalho para a função que você exerce. Dessa forma, não interessa se na empresa o seu cargo é definido como Gerente Delegado.

No Linkedin ele deve aparecer como Diretor Geral ou Country Manager. E na eventualidade de que seu cargo seja Analista B, nunca registre esse título! Utilize aquele que melhor define sua atividade, como, por exemplo, Analista de RH ou Analista Financeiro.

 3. Venda-se no Sumário

O Sumário é o seu comercial de 15 segundos e deve conter uma mensagem curta (aproximadamente 100 palavras) que seja impactante e que dê a dimensão da sua capacidade de contribuição para o futuro empregador.

Deve ser escrito como se fosse um “Elevator Pitch”.

Seu objetivo é convencer o futuro empregador que você será uma grande contratação em função de sua capacidade de realização.

 4. Solicite recomendações

O Linkedin oferece duas possibilidades:

  • Relação das principais qualificações (skills) que você possui, região na qual pessoas que o conhecem reconhecem, assuntos que você domina.
  • Recomendações adicionadas à cada empresa para a qual trabalhou, nas quais pessoas que o conhecem ou que formam seus colegas, supervisores ou pares enaltecem as principais características da excelência do seu trabalho. Esses testemunhos têm o peso de dar credibilidade ao profissional.

O número dessas recomendações deve ficar entre 3 e 8.

Em ambos os casos, é recomendado que você solicite essas recomendações a pessoas de seu relacionamento. Haverá casos em que competirá a você a redação desses depoimentos testemunhais, os quais serão adotados pelo seu conhecido.

Conforme mencionado, com exagero, no artigo: OS 10 ERROS MAIS COMUNS DE QUEM PROCURA EMPREGO, você deve solicitar recomendações a pessoas dispostas a testemunhar que o viram caminhando sobre as águas.

 5. Conectar-se com (quase) todo mundo

Quanto maior o número de conexões você tiver tanto melhor, pois isso potencializa a possibilidade de seu registro ser visto por pessoas que importem para os seus objetivos. Ao estabelecer essas conexões, você passa a ter acesso ao todo relacionamento dessa pessoa, o que aumenta em muito a probabilidade de encontrar no mesmo, uma ou várias pessoas que lhe interessem como fontes de informação, relação comercial ou possibilidade de emprego.

Não há um número considerado como ideal para o universo das suas conexões. Entretanto, qualquer número menor do que 100 é considerado inadequado pois reflete que o profissional não é muito ativo no Linkedin ou no seu ramo de atividade.

O cuidado que deve existir, ao aceitar uma conexão, é o de evitar incluir no rol do seu relacionamento pessoas que possam macular o seu nome ou imagem, por tentar vender ou solicitar coisas que sejam desagradáveis.

 6. Colocar detalhes da informação para contato

A maioria das pessoas são reticentes em divulgar informações pessoais para contato nas mídias sociais. É verdade que deve haver cautela.

Entretanto, não há porque correr o risco de perder uma oportunidade profissional em decorrência da dificuldade de contatá-lo.

É recomendável que crie um e-mail específico para receber mensagens de recrutadores e possíveis empregadores.

Isso evita expor informações pessoais, além de impedir que e-mails a respeito de oportunidades de emprego fiquem perdidos no meio de todo o resto da correspondência que você recebe.

O mesmo princípio se aplica à possibilidade de ter uma linha telefônica de celular dedicada a oportunidades de emprego.

7. Seja membro de grupos de discussão

Integrando grupos de discussão no segmento em que você atua eleva sua probabilidade de sucesso na busca de uma oportunidade profissional. É uma forma de se manter atualizado a respeito do que está ocorrendo no seu segmento, além de colocá-lo na proximidade de possíveis futuros empregadores.

Sua participação nas discussões ou a sua publicação de artigos relevantes para o setor, aumentarão sua visibilidade junto a recrutadores e futuros empregadores.

 8. Recomendação final

Caso o seu objetivo ao cadastrar-se no Linkedin, seja o de estar aberto às inovações no segmento de negócios em que atua, bem como ser identificado como potencial candidato por recrutadores, o seu registro gratuito é suficientemente eficaz e bom.

Elevar sua conta para o nível “Premium” cria a possibilidade de enviar mensagens para estranhos, que não fazem parte do seu relacionamento. Isto pode ser útil para um recrutador, que deseja contatar possíveis candidatos, ou para conseguir dicas de oportunidades de vendas e de negócios.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário