Post Life Transitions Ações para encontrar emprego após os 50 anos
Post Life Transitions Ações para encontrar emprego após os 50 anos

10 AÇÕES IMEDIATAS A TOMAR QUANDO VOCÊ PERDE O EMPREGO COM 50+ DE IDADE

Como você se sente quando perdeu um emprego com 50+ anos de idade?

Você foi colocado para fora juntamente com a implosão de todo o departamento. Você tem lampejos de ódio. Você se ressente de estar excluído da rotina da sua vida, do contato com os colegas, do ambiente familiar, dos horários regulares, enfim, de tudo que lhe parecia definitivo e permanente.

Seu problema é tornar-se positivamente produtivo. Esqueça-se das lamentações; não se torne uma viúva do antigo emprego. Respire fundo, erga a cabeça e coloque-se numa trilha construtiva; isso irá ajuda-lo(a) a se
reerguer, através de um-passo-a-cada-dia.

1. Não tente ficar sozinho(a) no processo

Quando se trata de recuperar um emprego, após demitido com mais de 50 anos de idade, a única coisa que o profissional consegue fazer sozinho, com total perfeição, é fracassar.

Não tente conduzir o trabalho sem a participação de interlocutores úteis.

A primeira providência é livrar-se das pessoas que tragam notícias, sentimentos ou atitudes negativas para sua vida.

São aqueles que se regozijam em falar mal da situação, sempre têm prontos, na ponta da língua, dados que demonstram o quanto está ruim a situação atual, qual o número de desempregados, quanto encolheu o PIB do país, quais empresas estão demitindo quantas pessoas, quem dos conhecidos e amigos perdeu o emprego ou ficou com o nome apontado nos órgãos de avaliação de crédito etc.

Essa pessoa são negativas demais e tão somente vão alimentar sua autocomiseração e criar desculpas para a situação difícil que você estiver vivendo.

Você necessita dos estímulos positivos de pessoas que lhe queiram bem e que saibam enxergar suas qualidades e, principalmente, que sejam capazes de ajudá-lo a combater o desânimo e a sensação de inutilidade dos esforços feitos. Pessoas que saibam estimulá-lo (a) a perseverar apesar dos fracassos.

Na natureza, em média, o predador fracassa em uma a cada dez tentativas de matar uma presa, mas, nem por isso, a leoa ou o leopardo entram em depressão e recorrem aos serviços de um analista para lamentar-se da vida.

Na busca do emprego, nos tempos atuais, em média a proporção é ainda menos favorável ao “caçador”. Sucesso, em média, uma vez em cada 12 tentativas.

Cautela é necessária ao aceitar esses números. Não se esqueça de que há pessoas que são bem-sucedidas já na terceira ou quarta tentativa.

Estatisticamente isso significa que, mantendo a média, alguém somente conseguirá o emprego na vigésima ou vigésima primeira tentativa.

Participe também de um GAM (Grupo de Apoio Mútuo) para conviver, ainda que virtualmente por meios eletrônicos, com pessoas que enfrentam os mesmos problemas e para a troca de experiências, que sempre é engrandecedora.

Conheça, por exemplo, os GAM:

2. Crie um e-mail e um site pessoal

O e-mail ideal é aquele que contém o seu nome e sobrenome.

Caso o seu nome seja muito comum, como José, João ou Antônio da Silva a tarefa pode demonstrar-se difícil. De qualquer forma, tente em vários provedores, pois, com um pouco de sorte, pode identificar um no qual o nome ainda não tenha sido registrado. Não sendo possível, procure a alternativa que melhor permita identifica-lo.

Melhor (muito melhor) é que além do seu e-mail você crie também um site pessoal. Não é necessária a preocupação com atualizações constantes ou em conferir grande dinamismo ao site; ele pode ser um catálogo eletrônico pessoal seu, com as informações básicas como:

  • Foto
  • Biografia
  • Informações de contato
  • Um vídeo a seu respeito, tomando por base o seu Elevator Pitch
  • Fotos de fatos importantes de sua vida, contatos com fornecedores ou clientes importantes, inaugurações etc
  • Gráficos demonstrando o desempenho e a evolução de fatores importantes como custos, vendas, qualidade, fidelização de  clientes, redução de inadimplência etc.

Elaborar um site é menos complicado do que parece ser.

Existem à disposição, gratuitos, templates para que o próprio interessado elabore o seu site. Entretanto, como se trata de uma versão simples, com as
características de um catálogo, há pessoas (geralmente muito jovens) que fazer sites por preços bastante acessíveis.

Ao possuir um site, o profissional pode enriquecer o seu currículo, pela adição de hiperlinks, que levam o leitor a consultar, de forma dinâmica e em apresentação mais primorosa, ilustrações, fotos, gráficos e vídeos que complementam as informações sobre a carreira, realizações e outros dados importantes.

3. Comunique o seu novo e-mail e site a toda sua rede de relacionamentos.

Não seja seletivo nesta fase; todos significa todos mesmo, ou seja, familiares, amigos, colegas, grupo de ex-alunos, pessoas com as quais mantinha relações de negócios na empresa em que trabalhou (fornecedores, clientes, gerente de banco, corretores de seguros), conexões de redes sociais como Linkedin, Facebook, Twitter etc.

Esta é uma primeira comunicação que serve para alertar a todos sobre sua nova condição e para assegurar que continuarão em condições de contatá-lo. A existência do site é um motivo adicional para estimular a curiosidade das pessoas, gerando grande visitação inicial. Servirá também para informar a todos a respeito do seu real conteúdo profissional e do potencial de contribuição que oferece para um futuro empregador. É possível que você venha a receber comentários elogiosos de pessoas que o conhecem há anos, mas que nunca souberam, nem imaginaram, a importância e a abrangência de suas atividades.

Estas primeiras providências já preparam as pessoas a se tornarem multiplicadores do seu esforço de caça ao emprego, endereçando-as corretamente para os seus objetivos.

4. Atualize o seu currículo

Vamos tirar a poeira e as teias de aranha que se acumularam no último currículo que você fez e se empenhe em atualizá-lo dentro de padrões que o destaquem de forma marcante e que maximizem o seu poder competitivo.

É praticamente impossível compor um bom currículo sem antes ter feito o levantamento do seu patrimônio profissional, seja através do sistema interativo GRADUS ou através do e-book “A Conquista do seu novo emprego“.

Para maiores informações baixe também o e-book grátis:  “As Cartas que mudaram o mundo do trabalho

5. Complete suas conexões nas redes sociais

Inscreva-se nas principais redes sociais como Linkedin, Facebook, Twitter e Instagram ou, caso já o tenha feito, reavalie as informações postadas, com o objetivo de atualizá-las e torná-las elementos importantes da divulgação de sua imagem, para que sejam instrumentais na identificação de oportunidades e o evidenciem perante os recrutadores.

Tenha presente que o seu objetivo é autopromocional. Esta é uma atividade que pode lhe parecer estranha e difícil de realizar, mas que se torna banal após algum tempo insistindo no tema. Para isso, procure literatura na própria Internet sobre como viralizar-se.

6. Produza um cartão de visita profissional

Elaborar um cartão comum, sem criatividade e despersonalizado, custa o mesmo que produzir uma peça com forte impacto e grande poder de formação de imagem.

Para isso, pense: como você quer ser reconhecido? Como dica para orientá-lo nesta decisão, discorremos a seguir a respeito das maiores preocupações do futuro empregador ao avaliar um possível candidato para uma vaga.

O futuro empregador irá contratá-lo com o objetivo de que você realize uma atividade específica na empresa. Ele espera encontrar em você um profissional capaz, qualificado para realizar o trabalho com qualidade e eficiência e que também reúna as qualificações que se convencionaram ser aquelas que definem o perfil de um bom funcionário, ou seja, dedicação, pontualidade, frequência, seriedade e comprometimento. Contudo, ele necessita algo mais! Ele que enxergar no profissional o potencial de contribuir para o desenvolvimento da empresa, atendendo às suas preocupações básicas que são:

  • Trará mais dinheiro para a empresa aumento suas receitas?
  • Será que este profissional nos fará gastar menos dinheiro, reduzindo custos?
  • Será que este profissional ocasionará uma elevação na produtividade e na qualidade?
  • Será que esse profissional conseguirá integrar-se bem com a equipe e promover uma melhora no ambiente de trabalho e na qualidade das relações internas?

Dentro desse panorama, procure identificar o que, de forma marcante, caracteriza a sua atuação profissional. Algo relacionado aos quatro aspectos básicos das preocupações do empregador? Alguma outra característica?

O importante é ressaltar algo que faça sentido para o futuro empregador. O fato de, num exemplo hipotético, você ser adepto das escolas filosóficas orientais, que valorizam o equilíbrio interno e a frugalidade, pode ser algo muito importante para sua estabilidade emocional e sua paz interior. Mas esse argumento sensibiliza e é relevante para o empreendedor?

Sua decisão neste assunto irá influenciar a apresentação gráfica do seu cartão de visita no que se refere ao formato, cores, distribuição de textos etc.

O seu cartão deve também transmitir a imagem de dinamismo e de ser uma pessoa em consonância com o mundo atual. Para isso, deve conter os dados usuais de contato, além de endereço de Linkedin, Skype, Twitter e site.

7. Agende uma primeira reunião de networking

Escolha dentre as pessoas de sua rede de relacionamentos aquela que, na sua avaliação, possua grande probabilidade de indica-lo para uma oportunidade de emprego ou que possua boas informações sobre o mercado de trabalho, tendências, possibilidades ou futuros desdobramentos.

Este contato servirá como um “aquecimento” para aquilo que deverá ser o foco principal de sua caça, que é buscar vagas que não estejam publicadas em processos amplos de seleção. Ouça com atenção e não confie na memória; faça anotações durante o contato ou, caso isso não seja possível, imediatamente ao término do mesmo.

8. Aproveite a oportunidade para meditar sobre sua vida

Estar desempregado é um momento raro de liberdade de decisão sobre sua vida profissional. Todos carregamos nos nossos corações ansiedades e desejos reprimidos quanto ao rumo de nossas carreiras.

Buscar a felicidade profissional quando se está empregado tem um preço bem visível.

Abandonar uma atividade para jogar-se na direção daquilo que deseja e que gostaria de fazer, representa abrir mão do seu salário mensal em troca de um sonho. Ninguém, ou muito poucos, têm a coragem de tomar essa decisão. Resultado, quase todos passam a vida adiando o momento de serem felizes, fazendo da felicidade um fim a ser atingido no futuro, quando se aposentarem. Está errado: a felicidade não é um fim, mas um meio. Devemos ser felizes no nosso cotidiano e não quando atingirmos a velhice.

No momento do desemprego, qualquer decisão que seja tomada tem custo zero. Você não tem que abrir mão de nada para abraçar a atividade que o atrai e que você deseja realizar pois alguém, um terceiro, tomou essa decisão por você, ao demiti-lo (a).

Faça do desemprego um momento de meditação, procurado avaliar o que lhe incomoda na atividade atual e o que desejaria fazer no futuro. Defina seu objetivo profissional tomando por base o desejo: quem faz o que gosta, não força sua natureza, não se sente estressado, tende a fazer bem feito e, como decorrência, é bem-sucedido.

Quando procurando um emprego, é natural que a pessoa se enxergue dado continuidade à carreira que desenvolveu até então. Entretanto, isso leva a decisões viciadas que a perpetuam numa atividade que lhe é desagradável.

Utilize a sua liberdade momentânea para consultar sua alma e tomar consciência do seu desejo.

Quando a diferença entre o que você faz e o que desejaria fazer for muito grande, evidentemente não será o momento mais adequado para lançar-se no novo rumo, a não ser que uma cautelosa análise das circunstâncias e de seu poder financeiro o permitam. Isso é aplicável, por exemplo, para o Gerente Financeiro que descobre ser um Chef de restaurante sofisticado o seu real desejo.

Mesmo que não aplicável de pronto, tomar consciência de sua vocação permite planejar e executar um trabalho sistemático de busca da felicidade.

Em resumo, estar desempregado pode ser a oportunidade de tentar algo de novo.

9. Nunca fale mal de seu antigo empregador

Deixe as lamentações para o círculo mais íntimo de seus relacionamentos, restringindo-se à sua esposa. Não veja injustiças na decisão tomada pela empresa. Não fale de protecionismo e de que sobreviveram os bajuladores que jogavam tênis com a chefia. Nunca diga que a empresa era uma bagunça (afinal, você era parte do panorama). Nunca diga que discordava das decisões da alta cúpula. Não comente os fracassos nos lançamentos de novos produtos ou nas contratações equivocadas de pessoas incapazes.

Acima de tudo, tenha presente em sua consciência, que você foi parte de tudo isso e que terá que responder à pergunta: “O que você fez para mudar essa situação? Como você aceitava conviver com decisões que discordava? Par quem você manifestou seu inconformismo? Porque você continuou trabalhando numa empresa cuja direção era, na sua opinião, equivocada e
incapaz? ”

Pior ainda, com suas críticas, você pode estar transmitindo a imagem de indiferença, acomodação, mercenarismo (eu não concordo, mas o que me interessa é receber o meu dinheiro) e falta de comprometimento (não estou preocupado com os resultados da empresa).

10. Exercite-se

Você sabe que uma simples caminhada vigorosa de 30 minutos pela manhã acelera o seu metabolismo e o efeito disso prolonga-se pelo dia inteiro? O metabolismo acelerado irá provocar maior consumo de energia,  contribuindo para o seu emagrecimento, além de se tornar visível nas suas feições e postura, que passam a transmitir mais energia e vitalidade.

Na comunicação humana, 55% é expressa pela comunicação não verbal; adotar por 2 minutos a postura de avolumar-se (caubói pronto para o duelo) altera significativamente o nível de testosterona circulando no organismo (tanto em homens como também e mulheres), o que transmite a imagem de vigor e dominância.

Para ser bem-sucedido (a) em entrevistas é necessário comunicar, não verbalmente, a sensação de aptidão física, energia e otimismo.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário