Post Life Transitions Emprego e Renda após os 50 anos
Post Life Transitions Emprego e Renda após os 50 anos

IDADE 50+: EMPREGO OU TRABALHO E RENDA? – PARTE 2

Na PARTE 1 deste artigo, discorremos sobre princípios básicos da técnica de resolução de problemas, bem como a respeito das dificuldades do profissional com idade 50+ em conquistar o emprego.

Isso porque, formulando o objetivo como sendo a conquista do emprego, o profissional se impõe uma série de restrições e se coloca numa posição competitiva desvantajosa.

Assim, uma reformulação do seu objetivo pode abrir um campo vasto de oportunidades.

Por exemplo, suponha o objetivo:

Conquistar trabalho e renda.

Alerto para que esse novo objetivo é excessivamente amplo e pode levar o profissional a grandes perdas de esforços e energia.

Veja alguns exemplos que se enquadram no novo objetivo:

  • Fazer compras em Ciudad del Este para revender a muamba na sua cidade.
  • Tornar-se motorista de Uber
  • Inspirar-se na Mama África do Chico Cesar e se tornar “empacotadora nas Casas Bahia”

Melhorando um pouco a definição do nosso objetivo temos:

Conquistar trabalho e renda na minha profissão.

(leia mais em: “Qual o trabalho dos seus sonhos?”)

Essa nova definição, por seu lado, cria um novo leque de alternativas:

  • Conquistar um emprego
  • Apresentar-se como Gerente Interino (interim Manager) para cobrir períodos de ausência do titular
  • Trabalhar com free lancer
  • Conquistar cliente para prestar serviços de consultoria na área de sua especialização
  • Montar um curso para formar pessoas na sua área de especialização
  • Tornar-se um palestrante em assuntos de sua especialização
  • Criar um site pessoal e/ou um blog (leia mais em: “Você necessita um site pessoal?” e em: “3 razões para ter um site pessoal”)
  • Outras

Algumas dessas alternativas não são excludentes e permitem ações simultâneas em mais de uma delas.

Além de mais alternativas, há um segundo fato muito importante: o profissional permanece no controle de suas ações.

Não é necessário que exista uma vaga para que ele se apresente diante do provável contratador dos seus serviços!

Igualmente o conceito se repete: não será somente o seu conhecimento que conquistará trabalho e renda.

Essa conquista será decorrência de duas categorias de qualificações pessoais.

Elas estão dentro do profissional experiente e amadurecido e, na maior parte dos casos, a pessoa nem mesmo sabe que as possui.

Seu problema é conhecer-se a si mesmo para identifica-las (leia mais em: “O equilíbrio e a felicidade do ser”).

A primeira categoria é a capacidade de produzir resultados através do seu trabalho (leia mais em: “High Achieveres e a Empregabilidade”).

Responder à pergunta: o que meu trabalho produzirá de melhoria nos resultados da organização (Mais lucros? Aumento de vendas? Redução de custos? Posição competitiva mais forte no mercado? Maior fidelização dos clientes? Destaque na qualidade dos produtos ou serviços oferecidos? Abertura de novos mercados? Desenvolvimento de novos serviços ou produtos? Conquista de maiores fatias do mercado? Destaque perante os concorrentes? Reduzir a conta de devedores duvidosos? Reduzir o prazo médio de cobrança? Renegociar o pacote de benefícios para os funcionários? Aumentar a eficiência geral da empresa, interligando melhor todos o setores da mesma? Mobilizar a equipe, face a objetivos inspiradores?) Leia mais em: ”Ser uma solução em busca de um problema”

A segunda categoria, refere-se às habilidades inerentes que o profissional possui e que são, nesse momento, altamente desejadas pelas organizações.

Pesquisa realizada pelo Linkedin identificou as 5 características pessoais mais desejadas pelos empregadores:

  • Criatividade
  • Persuasão
  • Colaboração
  • Adaptabilidade
  • Gerenciamento do Tempo

A lista, contudo, é muito mais extensa, podendo incluir habilidades tais como: empreendedorismo, iniciativa, atitude pró-ativa, carisma, capacidade de liderança, habilidade em desenvolver e formar pessoas, criação de equipes motivadas, ritmo intenso de trabalho, foco no serviço ao cliente, etc .

Tudo começa com o autoconhecimento para saber o que de bom tem a oferecer e que o diferencia e o torna especial.

Não é uma tarefa fácil, pois quando você está dentro de uma garrafa, você não consegue ler o rótulo.

E todos nós estamos dentro de nossas próprias garrafas (Leia mais em: “A importância do coaching”).

Somente de posse do seu patrimônio profissional, constituído por tudo que o torna uma pessoa especial (ou seja, o arsenal de conhecimentos, competências, realizações, habilidades, atitudes e preferências), terá, o indivíduo com 50+, condições de agir produtivamente para a conquistar do seu objetivo de trabalho e renda.

Ewaldo Endler

Sócio da Next Steps e da Lifetransitions. Começou como executive search em 1972 e desde então tem desenvolvido uma larga experiência em várias organizações globais. É Coach em transições profissionais: A Conquista do Emprego, Planejamento de Carreira, A Recolocação Profissional, Preparação para Aposentadoria, Onboarding Executivo, Assessor na elaboração do currículo e em networking.

Deixe um comentário